Filtrar por:

Data

Publicações de A a Z
Imagem do artigo - CHAPECÓ - Ecossistema de Inovação e Empreendedorismo CHAPECÓ - Ecoss...

Mapeando a inovação

Em um ecossistema de inovação, o mapeamento dos atores e suas atividades é uma ferramenta que permite uma visualização de todos os parceiros e iniciativas de inovação geridas. Com isso, é possível identificar novas oportunidades de parcerias e iniciativas alinhadas com a estratégia de inovação.

Este material tem como objetivo mapear o ecossistema de inovação e empreendedorismo do município de Chapecó/SC. A pesquisa de dados foi realizada por meio de coletas em fontes primárias e secundárias. Para a coleta dos dados primários foram contactados alguns agentes que compõem o ecossistema de inovação, no qual foram utilizados relatos de casos sobre iniciativas que promovem a inovação e o empreendedorismo no município.
A coleta de dados secundários ocorreu nas bases de dados do Governo do Brasil, como da Receita Federal, Comex Stat, Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI), Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).
Um ecossistema de inovação é formado pela colaboração de diversos agentes como aceleradoras, startups, fundos de venture capital, parques tecnológicos, grandes empresas de tecnologia, associações, governos e universidades que trabalham com o mesmo propósito.

Conhecer o ecossistema é o primeiro passo para ativá-lo e esse é um dos motivos que tornam o mapeamento tão importante. As informações que um mapeamento podem mostrar são essenciais para a tomada de decisão de líderes empresariais e governamentais, que precisam ter em mãos dados precisos sobre a situação econômica das cidades.Em síntese, o Mapeamento do Ecossistema de Inovação e Empreendedorismo de Chapecó/SC se mostra como uma ferramenta fundamental para a compreensão da dinâmica dos atores envolvidos e suas atividades no cenário de inovação local. Através da pesquisa foi possível identificar os diversos agentes que colaboram para impulsionar a inovação no município. À medida que novas iniciativas são impulsionadas e parcerias são fortalecidas, o potencial de inovação e o impacto positivo sobre a comunidade tendem a ser ampliados, consolidando o município como um polo promissor no cenário da inovação e empreendedorismo no estado.

Inovação

Acessar
Imagem do artigo - Contribuições dos parques científicos e tecnológicos para o desenvolvimento regional Contribuições d...

CONTRIBUIÇÕES DOS PARQUES CIENTÍFICOS E TECNOLÓGICOS PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Parques Científicos e Tecnológicos (PCTs) são iniciativas usadas pelos governos para impulsionar o desenvolvimento econômico. Eles são lugares onde o governo, universidades e empresas se conectam de perto. Os PCTs são ambientes de inovação que criam empregos e melhoram a qualidade de vida, sendo muito importantes para o crescimento de uma região, para a economia e para a criação de coisas novas usando tecnologia. Eles também ajudam a fazer produtos que são mais valiosos, o que torna as regiões mais competitivas.

Este estudo analisa como os Parques Científicos e Tecnológicos em Santa Catarina, no sul do Brasil, contribuem para o desenvolvimento da região. Para fazer isso, foram estudados os parques chamados MCTI inovadatabr, Àgora, i-parque, inovaparq, Orion e Pollen. A pesquisa se concentra em entender o que os PCTs estão fazendo bem e onde podem melhorar, para ajudar o desenvolvimento da região e da sociedade do conhecimento.

O estudo mostra onde esses parques estão, o que eles fazem, quantas empresas e pessoas trabalham lá, como eles se conectam com as universidades e como conseguem dinheiro. Para entender isso, foram feitas perguntas a várias pessoas.

Os resultados do estudo mostram que os Parques Científicos e Tecnológicos em Santa Catarina ajudam a criar novas empresas e a espalhar o espírito empreendedor e de inovação. A maioria desses parques está perto das universidades, o que ajuda as empresas a encontrar pessoas com boas habilidades e conhecimento para fazer pesquisas. Esses parques também têm boas estratégias para conseguir dinheiro de fontes públicas e privadas. A maioria deles tem uma boa equipe de pessoas capacitadas para gerenciar o parque.

Quando se olha para parques tecnológicos que foram bem-sucedidos, fica claro que eles ajudaram no crescimento da área local e também melhoraram a reputação dela. Sobre o impacto econômico do parque na região, percebe-se que muitas pessoas disseram que teve um impacto positivo na economia e que ajudou a criar mais empresas

Inovação

Acessar
Imagem do artigo - Mapeamento de energias renovaveis - FCTER Mapeamento de e...

Energias renováveis, também chamadas de energias limpas, alternativas, ecológicas e sustentáveis são a alternativa mais promissora para a gestão econômica e ambiental da sociedade contemporânea. É preciso que cada vez mais sejam difundidas as ideias de fontes que garantam a segurança energética a longo prazo e impulsionem o desenvolvimento sustentável.

Inovação

Acessar
Imagem do artigo - PARQUES TECNOLÓGICOS - estratégias para estruturação de um ecossistema de inovação e desenvolvimento regional PARQUES TECNOLÓ...

O objetivo deste livro é conduzir o leitor ao entendimento de uma estratégia
de desenvolvimento regional, baseada em uma proposição com as principais
etapas e os caminhos a serem implantados para mais bem interagir, usufruir,
gerar sinergia e vantagens competitivas em habitats de inovação, e apontar
indicadores para projetos de parques científcos e tecnológicos que estejam
em estágio inicial de operação.

Inovação

Acessar
Imagem do artigo - São Lourenço do Oeste - Ecossistema de Inovação São Lourenço do...

Neste material o leitor pode verificar como é o mapa do ecossistema de empreendedorismo e inovação no município de São Lourenço do Oeste. No decorrer da pesquisa foram colhidos dados de fontes primárias e secundárias. Para as pesquisas de fontes primárias foram elaboradas entrevistas com os agentes de inovação do município. Já para as pesquisas secundárias foram pesquisadas bases de dados abertas do Governo Brasileiro, como da Receita Federal, Comex Stat, Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI), Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Inovação

Acessar